Dicas

Como vender minha lancha? Veja 3 dicas

Escrito por Social Boats

Todo proprietário de embarcação sabe que em um determinado momento precisará se desfazer de seu barco. Embora tenha sido seu companheiro de viagens por milhas e mais milhas, chega a hora de passá-lo adiante e adquirir um novo modelo.

Além disso, muitos donos de embarcações usam seus barcos com pouquíssima frequência e acabam descobrindo que os custos fixos para mantê-los são altos, principalmente pelo fato de conhecerem pouco sobre o assunto, o que os leva a decidir vender a sua propriedade.

Seja qual for o motivo que o trouxe a este artigo, no conteúdo de hoje separamos 3 dicas essenciais para ajudar você a vender uma lancha. Continue a leitura para conferir todos os aspectos necessários como documentação, apresentação e até mesmo dicas para agregar valor ao seu barco.

1. Prepare a documentação para vender uma lancha

Antes de começar o procurar compradores para a sua embarcação, é preciso ter toda a documentação necessária em dia, para não ter problemas durante as etapas do processo.

Nota fiscal do motor e do casco novo

Se você adquiriu sua lancha nova, certamente, recebeu uma nota fiscal referente ao motor novo e uma referente ao casco novo, correto?

Além disso, deve ter recebido:

  • Termo de responsabilidade de construção, que contém a assinatura de um engenheiro naval responsável e do estaleiro;
  • Manual do proprietário;
  • Termo de garantia.

Considerando que você quer vender uma lancha usada, alguns desses documentos não serão exigidos.

Entretanto, é muito importante apresentá-los para o possível comprador, como forma de assegurar que sua aquisição foi realizada dentro das exigências legais e, é claro, manter transparência e confiabilidade durante toda a transação.

Nota fiscal do motor e do casco usado

Como vendedor da embarcação usada, os próximos documentos serão obrigatoriamente exigidos e você deverá entregá-los ao futuro comprador de sua lancha.

  • Título de Inscrição de Embarcação (TIE);
  • Título de Inscrição de Embarcação Miúda (TIEM), caso seu tamanho seja inferior a 5 metros de comprimento;
  • Bilhete do seguro obrigatório em dia (DPEM);
  • Recibo de compra e venda do vendedor para o comprador (reconhecido em cartório para confirmar sua veracidade).

A documentação deve estar em seu nome. Caso não esteja, você precisará de uma procuração do proprietário, para que possa vender a terceiros, pois sem essa procuração a transferência de propriedade na Capitania dos Portos, não será possível.

Como proceder na compra de um motor usado?

No caso de já ter trocado o motor de sua lancha por um usado, você precisará de um recibo de compra e venda também reconhecido em cartório, para comprovar sua veracidade (caso ele já esteja registrado na Capitania dos Portos). Ou uma nota fiscal do motor, caso ele ainda não tenha sido inscrito na Capitania.

Lembrando que você jamais deve comprar um motor usado que não esteja registrado, sem que ele tenha uma nota fiscal ou documento para comprovar sua procedência quando for realizar o registro junto às autoridades.

Embarcação importada

Se for vender uma lancha importada, além da documentação referente aos trâmites fiscais, como proprietário, você deverá submeter sua embarcação a um engenheiro naval registrado no Conselho Regional de Engenharia de Arquitetura (CREA), para que ele endosse os planos de construção.

Registro na Capitania dos Portos

O comprador da lancha terá até 15 dias após a aquisição para realizar a inscrição da embarcação na Capitania dos Portos (caso ela ainda não esteja registrada). Caso ele não tenha esse registro, seu uso ficará vetado.

Ressaltando que é possível transferir o registro até mesmo entre um estado e outro sem qualquer problema, pois as Capitanias dos Portos são órgãos federais.

Mudança de nome

Caso o novo proprietário da lancha queira alterar o nome da embarcação, poderá realizar o procedimento no ato da transferência de propriedade. Se ele decidir mudar o nome mais uma vez no futuro, deverá requerer a alteração na Capitania onde fez o registro.

Vale lembrar que as embarcações não podem ter nomes já registrados. Para evitar a repetição, um número em algarismo romano precisa ser acrescentado ao final.

Além disso, embarcações para navegação oceânica não podem conter nomes já existentes.

2. Apresente sua lancha

Prepare a embarcação

Após certificar-se de que toda a documentação está em dia, é hora de preparar o seu barco para apresentá-lo da melhor forma possível e atrair o maior número de possíveis compradores.

Cheque os seguintes aspectos:

  • Condições do casco;
  • Condições dos sistemas hidráulicos e elétricos;
  • Estado dos estofados e das peças no interior;
  • Garantia e condições da bateria e de quaisquer equipamentos que acompanharão a lancha.

Os motores têm que estar com a revisão em dia e, como vendedor, você precisa da documentação para fazer a transferência de propriedade sem nenhum problema.

Consertos e reparos

Se você não quiser gastar mais com consertos, deverá descontar os reparos necessários do valor da lancha, mas é preciso lembrar que um barco em melhores condições obtém destaque nos classificados e anúncios online de embarcações à venda.

Invista na apresentação

Antes de fotografar a lancha, faça uma boa limpeza e arrumação, se possível um polimento, ou uma camada de anti-incrustante para garantir que o brilho se destaque e agregue ainda mais valor nas fotos.

Embora não seja incomum nos depararmos com anúncios de barcos em péssimo estado, bagunçados e sujos.

Além disso, remova todos os objetos pessoais e tudo que não for vender junto com o barco, para que as fotografias mostrem apenas o que de fato é necessário.

Faça um bom atendimento

Quando for receber seus compradores potenciais, convide-os para entrar na lancha para que sintam o conforto.

Receba-os com um café ou uma cerveja gelada, dependendo da época do ano e se eles demonstrarem muito interesse, não hesite em dar uma pequena volta com a lancha para mostrá-la funcionando.

3. Decida entre venda privada ou por corretagem

Existem duas formas para vender uma lancha: por meio do auxílio de um serviço de corretagem ou por venda privada.

Prós da venda privada

  • Margem para negociação de preço, pois não existem taxas ou despesas;
  • Venda possivelmente mais rápida por conta do menor número de pessoas envolvidas;
  • Controle e autonomia sobre o processo.

Contras da venda privada

  • ​É preciso pesquisar muito sobre o mercado de barcos usados;
  • Toda a preparação da documentação fica por sua conta;
  • Você precisa correr atrás dos compradores sem qualquer auxílio.

Prós da venda por corretagem

  • Mais garantias durante o processo de venda;
  • O corretor é um especialista na intermediação de compra e venda de embarcações;
  • Corretores lidam com toda a documentação para você;
  • É possível vender sua lancha por melhores preços;
  • O tempo de venda pode ser consideravelmente menor, pois, a empresa de corretagem tem destaque nos mecanismos de buscas e um consistente banco de clientes e possíveis compradores.

Contras da venda por corretagem

  • Possivelmente maiores custos no processo;
  • Corretores não costumam se interessar por vender barcos pequenos e de baixo valor, por conta das comissões que não compensam o tempo investido.

Gostou das nossas dicas sobre como vender uma lancha de maneira assertiva? Então siga-nos no Facebook para acompanhar todas as postagens semanais!

Sobre o autor

Social Boats

Deixar comentário.

Share This